3 comentários


  1. 9 meses atrás  

    Concordamos com o artigo, pois acreditamos que os pais em busca da adaptação de uma vida melhor acabam deixando a fase de crescimento dos filhos de lado, e pelo fato de sempre estarem prontos para novos desafios e, até mesmo de fazer escolhas, como o trabalho e a família. Sendo que o trabalho, na maioria das vezes, seja a prioridade naquele momento para um conforto melhor do futuro de sua família. Aprendemos assim, que devemos estar aptos a mudanças e analisar as prioridades do dia a dia, e saber utilizar a tecnologia a nosso favor para que tenhamos mais tempo para o convívio familiar. Infelizmente, não tem como sabermos o melhor projeto de vida, pois futuramente nossas decisões no dia a dia é que define o sucesso do nosso projeto de vida.
    Fabíola e Cristiane

    Fabiola Silva

  2. 9 meses atrás  

    Termos desconhecidos

    Interestelar: Que se situa entre as estrelas.
    Prole: Conjunto dos filhos e filhas de um indivíduo ou de um casal, humano ou não

    O texto é uma ficção científica em um futuro não muito distante, a terra deixa de ser uma fonte de vida e se torna uma ameaça à espécie humana. Devido à falta de comida, água, e as tempestades de areia cobrem o mundo de pó, acabando com as plantações e os homens. A principal preocupação é com o fornecimento de alimentos. O último alimento que resta é o milho que, em pouco tempo, também será arruinado. A única solução é deixar o planeta que se tornou inútil e buscar em algum lugar do universo outro lugar para habitar, para isso Cooper vai pagar um preço muito alto abandonando o crescimento dos seus filhos. Valerá a pena deixar os filhos para salvar a humanidade? Vale a pena sacrificar o específico para salvar o geral?

    Concordo com texto, pois nos tempos atuais a sociedade é marcada pela correria do dia-a-dia e pela constante mudança de cenários. Essas mudanças ocorrem em ritmo acelerado e é preciso adaptar-se a todo o momento. Diariamente, o homem enfrenta novos desafios e estabelece novas prioridades. Entretanto, não conseguem alcançar as metas estabelecidas, nem todas as prioritárias são cumpridas. Com isso não conseguimos acompanhar o desenvolvimento dos filhos tendo que terceirizar a educação dos mesmos.

    Durante séculos o homem desenvolveu tecnologia no intuito de estimular a produção de máquina para obter tempo para a atividade intelectual, para o lazer e família. No entanto, o aumento da automação, em muitos casos, dispensou a mão de obra humana, mas a criação de tecnologias subordinou ainda mais o indivíduo ao seu trabalho.

    Fazendo uma analogia ao texto, os seres humanos são os proles do planeta terra, e como estamos cuidando do nosso pai? O pai que nos proporciona tudo que precisamos para nossa sobrevivência. O texto nos deixa como lição aprendida, devido tanta tecnologia e falta de tempo as pessoas estão se distanciando e as famílias estão cada vez menores, se não existir um equilíbrio o planeta terra entrará em colapso em um futuro próximo, quando nem mesmo toda a tecnologia existente será capaz de salvar a humanidade.

    Lívia Mara Greco

  3. 9 meses atrás  

    Este fenômeno se assemelha a “Corrida dos Ratos”, presente no clássico “Pai Rico Pai Pobre”, de Robert Kiyosaki, que mostra que as pessoas entram em um círculo vicioso de lutar cada vez mais por maiores salários e prestígios, em suas “jornadas para salvar o mundo”, trabalhando dia e noite para adquirirem uma casa maior, melhores carros, viagens para os filhos e, com isso, acabam se tornando refém do trabalho, pois possuem tantas obrigações financeiras que não podem simplesmente abandonar ou diminuir o ritmo para passarem mais tempo com seus familiares.

    O planejamento financeiro e a gestão do ciclo da vida são essenciais para garantir tranquilidade e permitir o foco necessário na carreira, sem deixar de aproveitar e desfrutar a companhia dos filhos. Como dito, o equilíbrio entre o trabalho e a convivência familiar aparenta ser a solução mais sensata.

    Saulo Silva

Deixe uma resposta