Aéreas apostam em biocombustível que ninguém produz em massa

O plano da indústria da aviação para diminuir seu impacto sobre o aquecimento global depende de combustíveis feitos a partir de óleo vegetal, milho e lixo doméstico. O problema é que ninguém jamais conseguiu produzi-los nos volumes necessários.

A JetBlue Airways, a United Continental Holdings e a Virgin Group de Richard Branson começaram a misturar substitutos ecológicos ao combustível de aviação tradicional, feito a partir do querosene. Mesmo com o apoio das aéreas, ainda existem poucos produtores desses combustíveis. Eles não têm capacidade para produzir os bilhões de litros necessários para abastecer a frota global da aviação e o ritmo dos investimentos está caindo.

Leia a notícia completa em: http://economia.uol.com.br

Deixe uma resposta