Project Management Knowledge Base – Conhecimento e Experiência em Gerenciamento de Projetos

Clique Aqui para uma busca avançada.

Comissionamento: o que é, para que serve e quem faz

Publicado em 29/12/2013

Este é um assunto de extrema importância e que ainda existe pouco material disponível no mercado. O tema Comissionamento é pouco discutido e sempre é fruto de muitos gastos e atrasos no término dos projetos.

Uma fonte deste tema é o livro “Melhores Práticas de Comissionamento”, do autor Marco Aurélio Martins Vaz, editora Schoba. Os conceitos por ele abordados, seguramente são adotados pelas maiores empresas de nosso país.

Mas o que é Comissionamento?

“Comissionamento é o processo de assegurar que os sistemas e componentes de uma edificação ou unidade industrial estejam projetados, instalados, testados, operados e mantidos de acordo com as necessidades e requisitos operacionais do proprietário.” – WIKIPEDIA

“´Comissionar´ equipamentos e sistemas elétricos significa integrar, testar e garantir que todos os itens que compõem uma determinada instalação irão operar de forma correta e satisfatória. A partir do conhecimento das características do trabalho a ser desenvolvido e das necessidades do cliente, estas atividades deverão ser planejadas e desenvolvidas em consonância com as diretrizes das Normas Técnicas e de Segurança aplicáveis, de modo a se obter o desejado sucesso na operação do empreendimento.” – SENIOR ENGENHARIA

“O comissionamento é o processo que assegura que os sistemas e componentes de uma unidade industrial estejam projetados, instalados, testados, operados e mantidos de acordo com as necessidades e requisitos operacionais do proprietário. Na Siembra, o comissionamento é aplicado em cada projeto de máquina, equipamento ou linha de montagem de nossos clientes, seja para realizar a expansão, a modernização ou ajuste de uma máquina em uma planta industrial ou para compor a linha de montagem.” – SIEMBRA AUTOMAÇÃO

 

equipe_comissionamento
Figura 1 – Comissionamento é uma etapa importante que exige profissionais experientes

O Projeto Industrial é complexo não pelos números expressivos, mas pela quantidade de envolvidos como fornecedores, cliente, comunidade, normas e procedimentos. A divisão em fases ou etapas é fundamental para que cada uma seja feita conscientemente para o avanço para a seguinte.

 

projeto

Figura 2 – Fases do Projeto Industrial Típico: Engenharia + Suprimentos + Construção + Comissionamento

Os projetos industriais são compostos pelas seguintes etapas ou fases:

  • Gerenciamento do Empreendimento:esta fase irá compreender desde o Estudo de Viabilidade até a entrega (ou Hand Over) para a equipe de Produção/ Manutenção que irá assumir a unidade industrial após o Projeto. Trata-se de planejar, executar os pacotes de fornecimentos, controlar o prazo e o orçamento do projeto e garantir a Qualidade.
  • Viabilidade Técnica-Econômica:depois dos planejamentos iniciais é preciso avaliar a viabilidade técnica (se existe tecnologia para desenvolver o projeto industrial) e a viabilidade econômica (se a tecnologia escolhida poderá desenvolver um projeto que dê retorno financeiro aos seus investidores). A Metodologia Front End Loading (FEL) tem aqui o primeiro portão de aprovação (FEL1).
  • Engenharia:com os parâmetros da fase anterior definidos (tecnologia e estimativa inicial do investimento), a fase de Engenharia irá determinar os itens comerciais para aquisição e os critérios para construção, fabricação, montagem e COMISSIONAMENTO. Nesta etapa acontecem Engenharia Conceitual (FEL2), Engenharia Básica (FEL3), Consolidação do Básico (FEED – Front End Engineering Design) e Engenharia de Implantação (Engenharia Detalhada ou Executiva).
  • Suprimentos:algumas compras já podem ser realizadas após as folhas de dados ou especificações dos grandes pacotes de fornecimento sejam definidos na Engenharia Básica. Porém a maior parte dos fornecimentos deverá acontecer após a Engenharia de Implantação (Detalhada ou Executiva). Nesta fase o empreendimento deverá trabalhar com fornecedores homologados e que possam mais a frente dar condições de acompanhar ou realizar o COMISSIONAMENTO do empreendimento.
  • Construção:é o pico do empreendimento industrial, onde teremos a maior quantidade de profissionais, materiais e máquinas envolvidas, é a obra propriamente dita. A equipe de COMISSIONAMENTO já deve ter um mínimo de efetivo, pois muitas decisões de construção, fabricação e montagem irão refletir no momento dos testes e ajustes dos sistemas (máquinas, instalações, equipamentos).
  • Pré-Operação e Testes:aqui sim a equipe de COMISSIONAMENTO irá atuar com força total. É necessário um planejamento adequado e criterioso, com procedimentos para cada etapa.

Normalmente, o processo de comissionamento é dividido nas seguintes etapas:

  • Planejamento do Comissionamento;
  • Mechanical Completion (Complementação Mecânica);
  • Pré-comissionamento;
  • Comissionamento;
  • Operação Assistida.

Para gerenciar melhor essas etapas, é de suma importância que detalhemos o escopo do projeto de forma diferente da que nos habituamos (área, subárea, ativo principal, etc). Uma forma utilizada é o detalhamento por pacotes de comissionamento, onde cada pacote possui vários componentes a serem testados, e para cada componente iremos desenvolver um check-list (protocolo) que validará ou reprovará os testes.

Segue um exemplo de detalhamento de escopo:

  • Área;
  • Sistema;
  • Subsistema;
  • Pacote;
  • Item tagueado.

Essa divisão é feita em um documento chamado mark-up, que nada mais é que o fluxograma de processo e diagrama unifilar pintados com cores diferentes para determinar os componentes a serem testados em um equipamento. O conjunto de componentes marcados da mesma cor, é o que chamamos de pacote de comissionamento, ou seja, a estrutura mínima necessária para se executar um teste naquele equipamento.

Por exemplo, em um Quadro de Distribuição de 13,8kV podemos entender que os componente (itens tagueados) desse equipamento são os cabos de alimentação, os cabo de controle e os cubículos que compõem o quadro.

Para um bomba, podemos entender que os componentes (itens tagueados) são as tubulações, os cabos de alimentação do motor, o instrumento, o cabo de instrumentação e a botoeira de campo.

A conferência da montagem e os testes desse conjunto de itens é o mínimo necessário para que possamos iniciar efetivamente o pré-comissionamento.

Portanto, deverá ser criado um check-list de testes para cada item tagueado, onde o conjunto de itens tagueados formará um pacote, o conjunto de pacotes formará um subsistema e assim em diante.

Figura 3 – A funcionalidade total da planta (empreendimento) depende de estágios consistentes do Comissionamento

Vamos descrever cada etapa para ficar mais claro:

Planejamento do Comissionamento:

Podemos dividir nas seguintes etapas, não se limitando às mesmas:

  • Desenvolvimento e revisão dos procedimentos e normas aplicáveis ao Processo de Comissionamento;
  • Definição dos pacotes de comissionamento (Mark-ups);
  • Elaboração dos check-list de Mechanical Completion, Pré-comissionamento e Comissionamento;
  • Integração do Masterplan do Empreendimento com o cronograma de comissionamento (estruturado por pacotes de comissionamento);
  • Elaboração e atualização dos Cronogramas Detalhados de cada etapa do Processo de comissionamento (por pacote de comissionamento);
  • Implantação do software de gerenciamento do comissionamento (emissão das curvas de progresso, relatórios de avanço, lista de pendências, etc).

Mechanical Completion (Complementação Mecânica):

Nesta fase deverá ser avaliada por equipe dedicada:

  • A correta montagem das instalações conforme projeto;
  • O acompanhamento dos testes específicos de cada equipamento, conforme especificações do fabricante e normas.

Ao final dessa etapa, deverá ser registrada através de check-list (protocolos de complementação mecânica) a observações da montagem e resultados dos testes que poderão ser divididos nas disciplinas de elétrica, automação, instrumentação, mecânica e tubulação.

Assim, após a realização dos testes, preenchimento e validação dos protocolos, é feito o handover (passagem) do equipamento para a próxima etapa.

Figura 4 – Pontos principais para o Comissionamento: Completação Mecânica, Comissionamento a Frio, Comissionamento a Quente, Teste de Desempenho, Aceitação dos Testes

Pré-comissionamento:

Nesta etapa deverá ser realizada por equipe dedicada:

  • A sinalização por etiquetas e cadeados que indiquem e proteja os equipamentos em teste, energizados e em término de montagem;
  • A energização e testes dos equipamentos de forma individual conforme especificações dos fabricantes e normas.

Ao final dessa etapa, a constatação do perfeito funcionamento e resultados dos testes dos equipamentos e linhas deverão ser formalizados através de check-list (protocolos de pré-comissionamento), que poderão ser divididos nas disciplinas de elétrica, automação, instrumentação, mecânica e tubulação.

Assim, após a realização dos testes, preenchimento e validação dos protocolos de pré-comissionamento, é feito o handover (passagem) do equipamento para a próxima etapa.

 

Comissionamento:

Nesta etapa deverá ser realizado por equipe dedicada:

  • A sinalização por etiquetas e cadeados que indiquem e proteja os equipamentos em teste, energizados e em término de montagem;
  • Os testes em equipamentos em grupos pré-definidos conforme condições oferecidas pelo processo de produção implantado, conforme especificações e normas.

Primeiro os grupos deverão ser testados em vazio ou com água (comissionamento à frio) e na sequência com carga (comissionamento à quente).

Ao final dessa etapa, a constatação do perfeito funcionamento e resultado dos testes dos grupos de equipamentos, linhas e sistemas devem ser formalizados através de check-list (protocolos de comissionamento).

Assim, após a realização dos testes, preenchimento e validação dos protocolos de comissionamento, é feito o handover (passagem) do grupo para a próxima etapa.

Operação Assistida:

Nesta etapa, os grupos de equipamentos já deverão estar comissionados à frio e à quente para então ser estabilizado o processo de produção, monitorados os parâmetros de funcionamento dos equipamentos, realizados os ajustes finais nos sistemas e averiguado a aderência ao Plano de Produção.

Conclusão

O Comissionamento não deve ser considerado onde os atrasos da obra serão recuperados. É fundamental que a equipe participe parcialmente desde a fase de Engenharia e Planejamento e integralmente na Construção e Montagem eletromecânica. Muitos ajustes serão mais fáceis de serem realizados e problemas de fabricação e conservação poderão ser constatados com antecedência.

O Handover (passagem) entre a equipe de Implantação para a equipe de Operação e Manutenção deve ser feito de forma estruturada, envolvendo toda a documentação dos testes, especificidades de funcionamento dos equipamentos e formalização de eventuais pendências. Como benefício, teremos uma melhor aderência ao Plano de Produção durante a fase Ramp-up, podendo alcançar de forma mais rápida a curva de produção nominal da planta.

* Para saber mais sobre Set Up, Comissionamento, Condicionamento e Start Up acesse: https://www.saletto.com.br/qual-a-diferenca-de-setup-comissionamento-startup-e-condicionamento-em-um-projeto-industrial/

Referências Bibliográficas

Sobre o Autor:

Rubens Perini Buzzeti é formado em Engenharia Eletrônica, pós-graduado em Gestão de Projetos. Atualmente trabalha como Engenheiro de Comissionamento.

E-mail de contato:  rubensperini@yahoo.com.br

Sobre o Co-Autor:  Ítalo Coutinho é formado em Engenharia Industrial Mecânica, Especialista em Gestão de Projetos e Mestre em Administração de Empresas. Gerente de Projetos e Engenharia da Saletto Engenharia. Coordenador e Professor de Cursos de Pós nas áreas de Engenharia de Planejamento, Gestão de Projetos de Construção e Montagem e Engenharia de Custos e Orçamentos.

E-mail de contato: contato@italonaweb.com.br / facebook.com/italonaweb

Se você tem comentários, sugestões ou alguma dúvida que gostaria de esclarecer, aproveite o espaço a seguir.

Imprimir

Editor

  1. Leonel Gomes Duarte disse:

    Boa tarde!
    Existe algum software de gestão de comissionamento gratuito?

  2. Zuneid Yassin M. S. Puelia disse:

    Muito obrigado por partilhar com a gente informacões interessantes como estas.

  3. Alex Sandro disse:

    Texto direto/objetivo e esclarecedor. Muito bom o conteúdo. Obrigado!!!

  4. MARIO CARLOS BRAGA DA SILVA disse:

    Gostei muito do artigo. Parabéns. Tenho o MBA em gerenciamento de projetos e vejo com clareza a necessidade de incluir a fase de Comissionamento como uma área de conhecimento na gestão de projetos dentro do PMBOK. Como todas as áreas, é necessário gerar para o comissionamento um Plano de Gerenciamento do Comissionamento, envolvendo análise de riscos, custos, prazos, qualidade, etc. passando pelos processos de iniciação, planejamento, execução, monitoramento e controle e finalização.
    Fica a sugestão para os responsáveis pelo PMI.

  5. Editor disse:

    olá eduardo, obrigado pelo interesse: em contato com os autores o livro está “descomissionado” (não tem sido mais publicado). Procure os autores para te ajudar no seu TCC e boa sorte🙃🍀🙃

  6. EDUARDO DE MELO MILANI disse:

    Estou fazendo meu TCC da graduação em engenharia elétrica e como já trabalhei com isto escolhe este tema. Queria muito encontrar este livro de “Melhores Práticas de Comissionamento”, do autor Marco Aurélio Martins Vaz, mas não estou encontrando, alguma sugestão?

  7. Anselmo de Paula disse:

    Senhores, Boa tarde.

    O artigo titulado “Comissionamento: o que é, para que serve e quem faz”, é um trabalho qualitativo que tem como enfase enfatizar o conceito e as principais etapas do comissionamento.
    Em projetos de natureza “turn key”, é comum termos a fase de comissionamento muito bem planejada antes mesmo de ir a campo ( cliente). Normalmente, há elaboração dos projetos executivos ( pela contratada) em seguida, dependente da natureza do projeto, existe uma fase chamado “teste de plataformas” aonde o cliente é convidado ir até a contratada para acompanhar uma simulação de como o projeto ( já comissionado) irá se comportar ( ex. automação de linha de minério, implantação de sistema de supervisório ou automação de auto forno). Após a aprovação desta simulação pelo cliente, a contratada irá realizar a implantação do projeto em campo, o que chamamos de comissionamento ( colocar em funcionamento meio operacional projetado).
    Em seguida, existe a fase de start up, com a linha já operando e posterior a isso, a fase de operação assistida, quando a contratada fica na linha acompanhado a produção em todos os turnos.
    Enfim, artigo interessante e sucinto.

    Um forte abraço,

    Anselmo de Paula.

  8. washington portugal disse:

    O artigo é rico e descreve bem as etapas de comissionamento, a parte de passagem para a operação. Seria interessante mostrar
    meios de disseminar a cultura de comissionamento, criando uma comunidade que discutisse mais a respeito das lições aprendidas nesta
    etapa importantíssima do projeto.
    Sempre dizemos que a participação da equipe em todos os processos do desenvolvimento do projeto é essencial, e na fase de Engenharia
    e Planejamento a participação parcial da equipe pode ser de grande valor para entendimento total do que será executado.
    Tudo que se aprende nestes projetos de comissionamento pode servir para alimentar uma cultura de melhoria continua em projetos.

  9. Henrique Rossi da Silveira disse:

    O artigo descreve a importância do comissionamento em um projeto industrial que tem sua complexidade na quantidade de partes envolvidas: fornecedores, clientes, normas, procedimentos…
    Comissionamento nada mais é do que uma série de procedimentos técnicos e de engenharia que tem como propósito verificar e testar os componentes que compõem um projeto. Ele se divide em cinco etapas para melhor aplicação.
    Aqui é descrito como a realização de comissionamento, desde a fase de engenharia até a entrega ao cliente, garante que os sistemas e processos desenvolvidos estejam de acordo com os requisitos operacionais do escopo. É portanto fundamental para a satisfação do proprietário.

  10. Anônimo disse:

    O artigo descreve a importância do comissionamento em um projeto industrial que tem sua complexidade na quantidade de partes envolvidas: fornecedores, clientes, normas, procedimentos…
    Comissionamento nada mais é do que uma série de procedimentos técnicos e de engenharia que tem como propósito verificar e testar os componentes que compõem um projeto. Ele se divide em cinco etapas para melhor aplicação.
    Aqui é descrito como a realização de comissionamento, desde a fase de engenharia até a entrega ao cliente, garante que os sistemas e processos desenvolvidos estejam de acordo com os requisitos operacionais do escopo. É portanto fundamental para a satisfação do proprietário.

  11. Iago Cezar Pereira disse:

    Sou aluno no curso de pós graduação de Gestão de projetos de Engenharia. Gostei muito do artigo, ele traz um conteúdo muito bem explicado e muito bem escrito. Nele é possível compreender a importância do comissionamento nos projetos, a etapa que mais me chamou atenção foi na parte do mark-up (fluxograma de processo), onde explica a forma de determinar os componentes a serem testados no equipamento. Enfim esse artigo nos mostra o quanto que o comissionamento é importante para garantir o perfeito funcionamentos dos equipamentos dos projetos.
    (Iago Pereira)

  12. Ivan Siqueira disse:

    Artigo bastante rico e detalhado, sou aluno de pós graduação em Gestão de Projeto de Engenharia e essa forma de abordar por etapas cada atividade até a entrega final do trabalho vem esclarecer a importância e a necessidade de cumprir fielmente o que determina as normas com o risco caso não o faça de gerar um problema muito maior no futuro. Gostei bastante da etapa de comissionamento propriamente dito com os testes a frio e posteriormente com carga gerando ao final a documentação de teste Check-list
    (Ivan Siqueira)

  13. ROVAIL LUIZ disse:

    Bom artigo gostei!!! Sou engenheiro mecânico; segurança e concluindo MBA – G. Projetos…atuo na área de inspeção de equipamentos e afins, especialista (PH NR-13) em atividades NR-13 – Caldeiras, Vasos de Pressão e Tubulações, tendo atuado em diversas obras para Petrobras e similares. Estou a disposição para eventuais consultas anotem: ROTECH Assistência Técnica e Serviços Ltda – rotech@rotechservice.com.brhttp://www.rotechservice.com.br – Cel: 11- 99603 2299 ENG. ROVAIL. Fforte abraço!!

  14. Ewerton Paes disse:

    Sou técnico de instrumentação e comissionamento na empresa EGT comissionamento e trabalho com o sr Marco Aurélio Martins Vaz. Vivencio diariamente esse “clima” de testes de equipamentos e estratégias para solução de problemas relacionados a projetos ou construção, tudo para garantir o perfeito funcionamento da planta dentro das expectativas do cliente sem fugir das normas vigentes. Em nossas atividades utilizamos o sistema PCMsys para gerenciamento e validação. Quero ressaltar que gostei do artigo, pois o mesmo destaca muito bem o que vivenciamos no dia-a-dia do comissionamento!

  15. gostei muito sobre os eng. de comissionamento italo coutinho,marco aurelioe rubens perini sou da area de engenharia de projetista master de tubulação e mecanica ,implantação de novas unidades de produção e seus processos ,fluxogramas de processos e utilidades ,trat. de efluentes,eta e ete com comissionamento e seus procedimentos caldeira da alta 100 kgf/cm2,caldeira de recuperação e de bio massa ,turbo gerador;
    Plataformas para petrobras Oscar da MOAS S/C LTDA Empresa de Engenharia ,caldeiraria e usinagem cel.9 9745-2050 Osasco sp.

Deixe uma resposta

Li e concordo com a Política de Privacidade

Compartilhe:

Av. Prudente de Morais, 840 Conjunto 404

++55(31) 3267-0949

contato@pmkb.com.br

Seg á Sex de 09hrs á 18hrs