Project Management Knowledge Base – Conhecimento e Experiência em Gerenciamento de Projetos

Clique Aqui para uma busca avançada.

Ferramentas para Gestão de Riscos em uma Organização – Aplicativos

Publicado em 01/03/2019

RESUMO

O gerenciamento de riscos é, certamente, uma das áreas de gestão de projetos mais críticas e complexas, pois está diretamente ligado ao fracasso ou ao sucesso de um projeto, demandando muito conhecimento de métodos e processos.

A gestão de riscos existe justamente para que as possibilidades de sucesso de um projeto sejam aumentadas e as chances de fracasso diminuídas. O uso de ferramentas de gestão e análise de risco têm como objetivo auxiliar os profissionais que cuidam do gerenciamento de riscos a tomarem as melhores decisões, avaliando a gravidade dos riscos para evitar que seu impacto afete pessoas, equipamentos, processos ou instalações.

É importante que o profissional por trás das análises e uso dessas ferramentas seja suficientemente qualificado e saiba que, muitas vezes, o emprego de uma só ferramenta pode não ser o bastante para a tomada da melhor decisão. Por isso, é importante que essa pessoa tenha o conhecimento das demais ferramentas para que possa buscar a solução ideal em vários recursos.

 

Leia o artigo completo, clique aqui.

 

Sobre os Autores:

curva "s"

Alunos:

Ariana Cristina Dias

Fhillipe Riceli Silva

Jessé Crispiniano da Silva Costa

Marcio Martinho Damasceno

Wander Melo

Ítalo Coutinho (Orientador) Engenheiro , PMP. Graduado em Engenharia Industrial Mecânica, Especialista em Gestão de Projetos e Mestre em Administração de Empresas. Atua como Gerente de Projetos e Engenharia da Saletto Engenharia. Pós-Graduado em Logística Empresarial. Coordenador e Professor de Cursos de Pós nas áreas de Engenharia de Planejamento, Gestão de Projetos de Construção e Montagem e Engenharia de Custos e Orçamentos. Autor de capítulos de livros, artigos e colunista sobre Gerenciamento de Projetos, com foco em Engenharia e Construção. Fundador do portal PMKB – Project Management Base of Knowledge. Afiliado a Sociedade Mineira de Engenheiros (SME); PMI; AACE e IBAPE-MG. Revisor do  “PMBOK Construction Extension 2015” a convite do PMI Global.

Imprimir

Editor

  1. Ana Carolina de Jesus Araujo disse:

    O artigo enfatiza que saber o que é Gestão de Riscos não basta. É preciso compreender a sua importância. O gerenciamento de riscos que ajudará a definir o futuro da empresa. Por isso, é preciso estar ciente a respeito de todo o processo produtivo para descobrir possíveis falhas e minimizar os riscos.Com ele podemos ter redução de perdas financeiras, otimização de processos,lucratividade, e outros ganhos. A importância da qualificação dos profissionais que avaliam e monitoram os riscos para um resultado mais significativo e real.É comum que muitas empresas tenham departamentos específicos para o gerenciamento de riscos ou contratem consultorias especializadas. São eles que se dedicam a identificar ameaças e elaborar estratégias para preveni-las.Cabe a esses profissionais executar tais estratégias e incentivar os colaboradores da empresa a cooperar para que tudo ocorra conforme o planejado.Fazer um bom diagnóstico empresarial pode ajudar a gerenciar todos os riscos.

  2. Ely oliveira disse:

    Uma vez avaliado todo o cenário e entendido o nível potencial de alteração de resultados por variáveis que permeiam a empresa, a gestão de riscos ainda demanda que seja feito o controle e o planejamento de ações de modo a lidar com as possíveis ocorrências desses riscos.gestão de riscos identifica dois tipos de ocorrências: as positivas e as negativas. Normalmente, a maioria das pessoas pensa imediatamente que o risco é negativo. Ele pode ser à medida que ameaça o atingimento de um objetivo. Ter, por exemplo, um problema de baixa qualidade de matéria-prima de um fornecedor já conhecido é algo que poucos esperam, mas que afeta negativamente a produção.

    Por outro lado, com um bom histórico de pagamentos e compradores habilidosos, esse mesmo fornecedor pode ceder a uma negociação mais interessante para a empresa. Nesse caso, o risco seria de conseguir descontos na compra de um lote maior de produtos — e isso implica em algo positivo, em uma oportunidade.

    Dessa forma, a gestão de riscos está sempre preocupada em mitigar efeitos ruins das ameaças (riscos negativos) ao mesmo tempo em que também busca ampliar o efeito das oportunidades (riscos positivos).A partir de um trabalho sério e dedicado, o amadurecimento da gestão de riscos tende a criar bons hábitos a serem assimilados na rotina da empresa e tornar as lições aprendidas referências concretas para toda a equipe.

  3. Victor Navarro Matta Andrade disse:

    O campo da avaliação de risco engloba estudos que estimam as chances de ocorrência de um conjunto específico de eventos e / ou suas possíveis consequências. A importância da gestão estratégica do risco ou da gestão do risco empresarial nas empresas, com sua disposição de considerar o seu lado positivo, trouxe também, desafortunadamente, um custo. Muitas organizações têm um colaborador ou uma equipe de pessoas encarregados da gestão de riscos, acredito que isso levou outras partes da empresa a pensar que a existencia de um grupo de gestão específico para riscos os liberava da responsabilidade de ter um papel na gestão de riscos, o que isso deveria ser sistêmico, no caso, de todas as partes da empresa.
    Mostrado pelo artigo, existem inúmeros aplicativos para diferentes áreas onde a gestão dos riscos pode ser feita com maior facilidade. Vejo que na prática, a gestão de riscos é fragmentada e com comunicação falha, entre os que diagnosticam e os que tomam decisões, algo que deveria ser reduzido à comunicação mais clara.

  4. Rodolpho Diego Silva Pereira disse:

    O artigo aborda de forma objetiva como é vital o gerenciamento de risco e as metodologias e sistemas para essa gestão. Diante da competitividade de mercado e das mudanças constantes de cada segmento, as empresas buscam cada vez mais ferramentas e recursos com metodologias para gerenciar seus riscos, trazendo mitigar situações indesejadas e aprimorando processos, consequentemente ganho de resultados (Qualidade). Fica claro no artigo o quanto o risco tem que ser analisado, gerenciado, buscando indicares chaves para tomadas de decisão. Se torna possível diante das ferramentas e softwares desenvolvidos para enfrentar este desafio crescente.

  5. Kamila Matosinhos Silva disse:

    Para que empresas hoje possam realizar um gerenciamento de riscos robusto e eficiente, além do uso de ferramentas e metodologias confiáveis, se faz necessário a absorção de colaboradores capacitados, para que o devido suporte organizacional seja desenvolvido para a prevenção de problemas, podendo ser aplicado em conjunto, o uso de inúmeros softwares de auxílio, podendo esses variar de acordo com a necessidade da empresa e conhecimento do profissional que irá executá-lo. Outra alternativa também mostra-se viável quando os custos de colaboradores capacitados e aquisição de softwares são elevados, sendo a contratação de uma consultoria especializada o melhor caminho a se recorrer.

  6. Ana Caroline Guimarães disse:

    A abordagem do artigo em apresentar novas formas de monitoramento e aplicação da gestão de riscos é bem relevante, eu mesma, não conhecia os softwares apresentados, que facilitam a vida do gestor. Metodologias que facilitam a gestão de riscos e são aplicáveis no cotidiano das organizações deveriam ser mais estudadas e difundidas entre as empresas. Mesmo havendo riscos em todos os setores, o estudo e analise dos mesmos, geralmente são negligenciados, assim com ferramentas que facilitam esse processo, como os softwares apresentados no artigo melhoraria a aplicabilidade dessas gestão.
    Mas quando esses softwares não estão a alcance as metodologias convencionais tem ótima funcionalidade, como como o what if, checklist, APR e 5 Porquês. O importante é mitigar os riscos e ter consciência que a gestão de riscos é fundamental para a sobrevivência das organizações no mercado!

  7. Mateus Eduardo Abreu disse:

    A abordagem do artigo em enfatizar a importância da gestão de riscos para as empresas, bem como o uso de metodologias confiáveis e colaboradores qualificados é muito relevante, visto que, muitos dos fracassos dos gerenciamentos de riscos acontecem pela falta-erro em algum destes itens mencionados anteriormente. Vale alertar que trazer o conceito de risco é importante, visto que, muitas organizações ainda veem o risco como algo negativo. Trazer informações de softwares utilizados no mercado é de grande valia, visto que, muitas empresas ainda estão atuando sobre planilhas de excel, ou até mesmo em ferramentas mais rústicas, dificultante o gerenciamento. Porém, percebe-se que, mesmo gerenciando de forma rústica, existem ferramentas que são eficazes, como o what if, checklist, APR e 5 Porquês.

  8. Anna Flávia Parreira da Silveira disse:

    Conforme mencionado no artigo, a gestão de risco é um fator determinante para sobrevivência das empresas, mas que não pode ser considerada uma tarefa simples, já que existem inúmeros riscos e cada um possui suas particularidades. Os riscos enfrentados pelas empresas não são exclusivamente de segurança, existem também riscos financeiros, ambientais, além dos riscos que afetam a imagem ou reputação da empresa. Desta forma, para gerir todos estes riscos é necessário possuir profissionais qualificados – nem sempre é de fácil contratação; fazendo-se necessário buscar uma consultoria externa em gestão de riscos. Além da mão de obra qualificada, é de extrema importância a utilização de planilhas e softwares especializados que facilitam este gerenciamento trazendo, inúmeros benefícios para as organizações.

  9. Sônia Rodrigues Machado disse:

    Após recente revisão da ISO 9001 (2015), a gestão de riscos passou a ser vista de uma maneira mais abrangente, saindo do escopo, que parecia ser restrito a segurança do trabalho.
    Passado o 1º momento, que causou alvoroço sobre o que seria “essa tal” gestão de riscos, as organizações entenderam que a gestão de riscos nada mais era que pensar e agir preventivamente, ou seja, conhecer a probabilidade de ocorrência de vários problemas, em potencial e tomar as devidas providências evitando que os mesmos se transformassem em problemas reais.
    Porém, no início não havia muito conhecimento de quais ferramentas/métodos seriam ideais para o levantamento desses riscos e qual a tratativa seria dada a eles.
    Conforme o artigo apresenta, percebe-se a existência de várias ferramentas para gerir os riscos existentes e/ou encontrados, em vários ramos de atividades. Porém a empresa pode esbarrar na dificuldade de profissionais que saibam aplica-las.

  10. Pallene de Meira Sena disse:

    Sempre que implantamos um novo processo ou projeto, ou desenvolvemos um novo produto, existem inúmeros riscos, que podem ser negativos ou positivos, mas utilizando as ferramentas adequadas estes riscos, podem na verdade, ser bem positivos e trazer uma série de benefícios para a organização.
    Ter uma equipe bem capacitada para a utilização das ferramentas de análise de riscos é fundamental, assim as chances de sucesso com resultados positivos serão ainda maiores e mais satisfatórias. Mas para isso é importante capacitar todas as áreas da organização, para que todos compreendam a importância da utilização das ferramentas.
    No artigo são abordados os usos de vários softwares que foram desenvolvidos e que vem sendo aplicados, e que contribuem significativamente para a análise dos riscos, além de terem um baixo custo para a aplicação.
    Com uma equipe bem treinada e com as ferramentas adequadas, a organização tende a ter mais sucesso e menos riscos negativos.

  11. Mariana A. Nogueira da Silva disse:

    O risco é definido como efeito negativo ou positivo, proveniente das ações realizadas durante a execução. No artigo aborda a importância em fazer o gerenciamento de riscos nas organizações, identificando e classificando as principais falhas potenciais, podendo ser analisado e controlado em qualquer senário das empresas. Existem diversas ferramentas de gerenciamento de riscos, conforme destacado no artigo, mostrando que as ferramentas são variáveis para cada negócio, onde a melhor ferramenta é o que vai interagir entre a organização e o projeto e forma satisfatória, onde irá proteger a organização e seus valores. Podendo ser com o uso de planilhas, software e aplicativos facilitando o gerenciamento. Buscando uma melhoria contínua dentro do processo da empresa.

  12. Flávia Caroline Marques disse:

    Todo processo produtivo de produtos e serviços existe o risco de falhas ,defeitos entre outros fatores.Assim uma gestão de riscos bem definidas com uma equipe interna qualificada ou a contratação de uma equipe de consultores externos promoverá melhoria contínua do processo organizacional.Pois será aplicado de forma precisa ferramentas específicas afim de eliminar os riscos negativos existente e valorizar aqueles positivos nos quais a organização não os trata.
    Existem diversas ferramentas/recursos de várias áreas ,como exemplo civil,financeira,redes industriais entre outros que são utilizados para fazer a gestão de riscos e trazem grandes benefícios como menor custo, melhoria dos processos,credibilidade e uma operação mais eficiente.

  13. Camila Cristina Ferreira disse:

    Adotar a gestão de riscos é uma estratégia que permite com que as organizações consigam se sustentarem competitivas em um ambiente mercadológico que está em constante evolução. Os riscos podem surgir durante a execução dos processos, sejam eles internos ou externos, e podem acarretar em efeitos positivos ou negativos na
    mesma. Quando há a gestão de risco, a empresa estará preparada para enfrenta-los, e a adoção de metodologias corretas e com a qualificação necessária faz com que os efeitos dos riscos sejam mitigados ou excluídos.
    O artigo aborda softwares que geram soluções integradas capazes de auxiliar o processo de gestão de risco em empresas de vários seguimentos (civil, redes industriais, etc), auxiliando a tomada de decisões das organizações e facilitando o desenvolvimento de estratégias a serem tomadas para que os riscos alcancem os patamares aceitos pelas organizações e para que tragam o menor transtorno possível.

  14. Francislaine Marques Silva disse:

    Artigo 2 – (800 caracteres c/ espaço)
    O presente artigo aborda a necessidade da aplicação do processo de gerenciamento de risco nas organizações e mostra que esta, não é uma tarefa muito fácil, pois cada risco tem sua particularidade.
    Hoje, graças a tecnologia, as empresas podem contar com vários softwares, planilhas e aplicativos que possibilitam e facilitam o gerenciamento destes riscos trazendo vantagens as organizações que os adotam.
    A aplicação das ferramentas de gerenciamento de riscos pode contribuir para que as empresas encontrem falhas nos seus processos e produtos e não vem somente para ser considerado uma ferramenta de identificação de não conformidades, mas também veio para identificar possíveis riscos de modo que as empresas possam trabalhar em oportunidades de melhoria mitigando assim os problemas da organização.

Deixe uma resposta

Li e concordo com a Política de Privacidade

Compartilhe:

Av. Prudente de Morais, 840 Conjunto 404

++55(31) 3267-0949

contato@pmkb.com.br

Seg á Sex de 09hrs á 18hrs