Project Management Knowledge Base – Conhecimento e Experiência em Gerenciamento de Projetos

Clique Aqui para uma busca avançada.

Inovação e Aspectos Estratégicos da Gestão do Conhecimento em Gestão de Projetos

Publicado em 24/04/2019

RESUMO

O presente artigo resume a funcionalidade da inovação e aspectos estratégicos da gestão do conhecimento, estruturadas no gerenciamento de projetos. Inovação é um tema que vem sendo muito explorado, sendo que, existe um consenso em torno da sua importância, mas um elevado grau de desconhecimento sobre sua gestão. Ressalta-se também o fato de que as práticas de gestão de projeto também não são totalmente incorporadas ao processo de inovação.  Sugere-se ainda, que as Organizações Públicas e Privadas possam conhecer e comparar os resultados obtidos com as recomendações propostas, para que planejem de forma efetiva a aplicação das melhores práticas em gestão de projetos de maneira sistematizada, como forma de maximizar o processo de inovação e potencializar a consecução de seus objetivos e resultados.

Palavras-chaves: Inovação; Gestão do Conhecimento; Estratégias; Gestão de Projetos.

 

INTRODUÇÃO

Os projetos não são vistos na Administração Pública como estratégicos ao cumprimento da sua missão e visão. Assim, além de não existir um processo sistematizado na gestão de projetos, estabelecendo acompanhamento contínuo dos projetos, também não possibilita a rápida identificação e correção de desvios, como a transformação das ações bem sucedidas em procedimentos padrão. A crescente utilização de processos, ferramentas e técnicas de gerenciamento de projetos, os quais podem fomentar de forma direta ou indireta a elevação do desempenho dos projetos, tem trazido diversos benefícios às organizações, tanto pública quanto privada.

Cada organização possui um perfil, uma personalidade, que pode ser observada quando nos relacionamos com os funcionários, clientes, quando há uma decisão importante a tomar, nos critérios de promoção, enfim no dia a dia de trabalho. As organizações têm também seus mitos, seus heróis, ícones que possuem características que as diferenciam na disciplina, na hierarquia, autonomia, decisão, etc. Com estes fatores as organizações criam sua personalidade, seu tipo psicológico, suas características próprias que são sinais que exteriorizam a cultura da empresa.

E neste cenário cultural, influenciados pela estrutura organizacional dizer para uma organização que ela necessita de uma nova metodologia de trabalho, com uma nova estrutura para gerenciar seus projetos é um tanto quanto desafiador. Ressalta-se a importância e a aplicabilidade das melhores práticas de Gestão de Projetos, com o intuito de promover o debate em torno dessas questões, estimular sua aplicação, e otimizar os resultados do processo de inovação.

Ademais, nem todos estão aptos a mudanças, e para realizar qualquer “change management”, seja implantar uma nova metodologia, novos processos na gestão de projetos, ou um novo modelo de estratégia de atuação no mercado, esbarra diretamente na questão cultural, sendo necessário procurar entender seus padrões e as pessoas, de forma a criar mecanismos que rompam os paradigmas e quebrem os modelos mentais que emperram os grandes saltos estratégicos e de inovação tão almejados pelas organizações. Afinal, mudanças de cultura possuem um tempo para acontecer e não é um processo de curto prazo.

Gestão do Conhecimento Como Fonte de Criação de Valor no Gerenciamento de Projetos

A experiência e o conhecimento adquiridos pelas pessoas integram a memória da organização e são bases para a melhoria contínua. Segundo DAVENPORT & PRUSAK (1998), as únicas vantagens competitivas que uma empresa tem é aquilo que ela coletivamente sabe, a eficiência com que ela usa o que sabe e a prontidão com que ela adquire e aplica novos conhecimentos. Para DRUCKER (1998), a empresa é uma organização humana que depende de seus funcionários, e que um dia o trabalho poderá ser feito de forma automatizada, isto é, feito de forma eficiente por máquinas. No entanto o conhecimento, que é a capacidade de aplicar a informação a um trabalho específico, só vem com um ser humano, sua capacidade intelectual e sua habilidade, onde o recurso econômico básico não é mais o capital nem os recursos naturais ou a mão de obra, mas sim “o conhecimento”, uma sociedade na qual os “trabalhadores do conhecimento” desempenharão um papel central. É importante destacar uma das grandes características associadas ao conhecimento que é o fato de ele ser altamente reutilizável, isto é, quanto mais utilizado e difundido maior o seu valor. Atualmente, criar, disseminar, transferir e utilizar o conhecimento promove ações que servem como alavanca, para o alcance de metas e solução de problema. Em 1998, um relatório da Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OECD) afirmava que mais de 50% do Produto Interno Bruto (PIB) dos países desenvolvidos era resultado do uso do conhecimento (CAVALCANTI; GOMES; PEREIRA, 2001). Neste mesmo ano, Robert Reich, em seu artigo The Company of the Future, faz a seguinte colocação: Quer construir uma empresa que sobreviverá a uma boa ideia pioneira? Crie uma cultura que valorize o aprendizado. Quer construir uma carreira que lhe permita desenvolver-se, assumindo novas responsabilidades? Cultive a fome de aprender – e associe-se a uma organização onde terá a oportunidade de aprender continuamente (REICH apud VON KROGH; ICHIJO; NONAKA, 2001, p. 11). Uma organização inserida na Sociedade do Conhecimento deixou de ser caracteristicamente linear e passou a ser dinâmica, flexível, onde não basta só pensar, mas principalmente agir sistemicamente. Adicionalmente, a qualidade e a velocidade no compartilhamento de informações, experiências e práticas, passaram a agregar valor à estratégia empresarial. Dentro deste contexto, o Escritório de Gerenciamento de Projetos (PMO), quando adota determinadas práticas de gestão do conhecimento, gerará insumos para a conquista da excelência em gerenciamento de projetos.

Em adição, com a implementação de práticas de GC no Gerenciamento de Projetos como fonte de criação de valor, a Organização poderá se beneficiar de diversas maneiras, entre as quais podemos destacar:

  • Aplicar PDCA no processo de monitoramento e controle de projetos, objetivando não repetir erros e aprender com a experiência;
  • Registrar os conhecimentos críticos e essenciais dos stakeholders, alinhando expectativas;
  • Estimular os colaboradores a compartilhar o que eles sabem (conhecimento tácito);
  • Registrar e usar as boas práticas desenvolvidas na organização, utilizando o formulário de Lições Aprendidas;
  • Disponibilizar o conhecimento gerado durante a aplicabilidade dos processos de gerenciamento de Projetos.

Destarte, observamos que ao Gerenciar Projeto alinhado à Gestão do Conhecimento, que possui diversas práticas de transmissão e disseminação de conhecimento, a organização é capaz de desenvolver suas atividades com efetividade, diminuindo custos e prazos, mitigando riscos, identificando competências e habilidades, definindo atribuições e responsabilidades das partes interessadas, mapeando stakeholders, monitorando a qualidade dos entregáveis, além de oportunizar a criação de um banco de conhecimentos das lições aprendidas, promovendo e estimulando o aprendizado de todos os envolvidos. Cabe ressaltar que, as lições aprendidas no gerenciamento de projetos podem gerar aprendizado, quando um desvio identificado no cronograma de um projeto resulte em ações corretivas para restabelecer o prazo final da entrega do produto, conforme o planejado, ou quando um registro de lições aprendidas identifique a necessidade de mudança (change request) em algum processo ou procedimento. A partir da mudança desse modelo mental, novas ações e resultados podem ser alcançados e a dinâmica da construção do conhecimento (Figura 1) é aplicada de forma integra e eficaz, gerando aprendizado e novas formas de pensar o processo de gerenciamento de projetos.

Figura 1 – (Fonte: NONAKA e TAKEUCHI, 1997) Fundamentação da Gestão do Conhecimento ao Gerenciamento de Projetos.

É importante salientar que, as lições aprendidas, extraídas no dia-a-dia das interações entre os membros da equipe, traduzem-se em aprendizado individual e coletivo, ou seja, na harmônica combinação entre processos organizacionais, habilidades e competências individuais para a geração de novos conhecimentos. O uso do conhecimento por toda a organização, gerado a partir da aprendizagem coletiva, leva a tomada de decisões mais acertadas, além de criar vantagens sustentáveis que garantam a taxa de sucesso dos projetos.

CONSIDERAÇÕES GERAIS

                Para que as organizações consigam amadurecer ao ponto de inovar aplicando a gestão do conhecimento em gestão de projetos é necessário que se quebrem paradigmas, e que todas as ações sejam sustentadas por um processo de “change mangement”. Ademais, que se invista na mudança de cultura, criando um ambiente de colaboração favorável com ganhos claros para todos, e não apenas para a alta administração; que os padrões de trabalho sejam utilizados de forma democrática e sem muitas imposições, alinhados à estratégia da organização e aos objetivos organizacionais. Outro fator que auxilia muito nos procedimentos da Gestão do Conhecimento é o mapeamento dos funcionários em relação ao seu conhecimento e motivação sobre o tema (Sociograma – representado Figura 2). Este mapeamento mostrará o nível em que se encontram os envolvidos e a necessidade da realização de formação continuada, para que a gestão de projetos possa ser entendida em relação às suas atribuições, responsabilidades e aspectos estratégicos.

Figura 2 – Sociograma (ferramenta utilizada para medir o nível do conhecimento e motivação pelo Tema) Elaborado pela Autora.

   Ressalvo que, criar estratégias para gerir projetos valorizando o ciclo da gestão do conhecimento, consolidará fundamentos na construção de uma nova administração pública garantindo a credibilidade de seus serviços de forma eficiente e eficaz, focados em benefícios tecnológicos e sócio-político-culturais para a sociedade. Em síntese, o grande desafio na Gestão de Projetos é compor projetos a partir da integração de fundamentos da gestão do conhecimento, para gerar valor as organizações orientadas ao aprendizado, realizando esforços constantes no sentido da melhoria de processos e à inovação.

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

ANSELMO, J. L. Escritório de Gerenciamento de Projeto: Um Estudo de Caso, Monografia (Graduação em Administração de Empresas) – Departamento de Administração da Faculdade de Economia, Administração e Ciências Contábeis. São Paulo: Universidade de São Paulo, 2002.

ARAUJO, Osnaldo. Análise SWOT (Strengths, Weaknesses, Opportunities, Threats) ou (Forças, Fraquezas, Oportunidades e Ameaças). Página pessoal Osnaldo Araújo mai.2010 Disponível em: http://www.dearaujo.ecn.br/cgi-bin/asp/analiseSwot.asp. Acesso em 29 de mai. 2010.

DAI, X. C. (2001) The role of the project management office in achieving project success. Doctoral thesis. USA: The George Washington University.

DAVENPORT, Thomas H. e PRUSAK, Laurence. Conhecimento empresarial: como as organizações gerenciam o seu capital intelectual. Rio de Janeiro: Campus, 1998. 237 p.

DINSMORE, P.C., Winning in business with enterprise Project management. New York. Amacon Books. 1999.

FLEURY, Maria Tereza; OLIVEIRA JR, M. M. Gestão Estratégica do Conhecimento: integrando aprendizado, conhecimento e competências. São Paulo: Atlas, 2001

GERHARD, E., Causas e consequências da implantação de um PMO – Project Management Office. Monografia (Graduação em Informática). São Leopoldo: Universidade do Vale do Rio dos Sinos, 2004.

KERZNER, H., Gestão de Projetos As Melhores Práticas. Porto Alegre. Bookman, 2002.

MELLO, André M. Diretrizes essenciais na Implantação de Um PMO.

NONAKA, Ikujiro e TAKEUCHI, Hirotaka. Criação de conhecimento na empresa: como as empresas japonesas geram a dinâmica da inovação. Rio de Janeiro: Campus, 1997. 225 p.

PMI. A guide de Project Management Body of Knowledge (PMBOK® Guide). Fifth Edition. Newton Square, PA: PMI, 2013a.

SBRAGLIA, R.; RODRIGUEZ, I., GONZÁLEZ, F., Escritório de Gerenciamento de projetos: teoria e prática., Artigo (série de working papers nº 02/007) – Faculdade de Administração da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade – Departamento de Administração. Disponível em: http://www.ead.fea.usp.br/ wpapers/2002/ 02-007.PDF>. Acesso em: 09/04/2007.

SENGE, Peter M. A quinta disciplina: arte, teoria e prática da organização de aprendizagem. São Paulo: Best Seller, 1990. 352 p. A quinta disciplina: caderno de campo: estratégias e ferramentas para construir uma organização que aprende. Rio de Janeiro: Qualitymark, 1995. 543 p.

TREFF L, BATTISTELLA LR. Inovação em Gestão de Projetos na Administração Pública. Rio de Janeiro: Brasport, 2013.

VARGAS R, Nir M. Construindo Times Altamente Eficazes. Rio de Janeiro: Brasport, 2014.

VARGAS, Ricardo V. Gerenciamento de Projetos: estabelecendo diferenciais competitivos.Brasport, 6ª ed. 2009.

Sobre a Autora:

Lilian Treff –  Mestrado Profissionalizante em Gestão Empresarial, Pós-Graduação, Lato-Sensu em Didática do Ensino Superior (Univ. Mackenzie), Especialização em Gestão de Projetos (Fund Vanzolini – USP) e Graduação em Pedagogia, Especialização em Administração Escolar (Licenciatura Plena – Univ. São Judas Tadeu). Destacada experiência nacional e internacional de 15 anos em cargos de liderança na área de Educação, Gestão de Projetos e Processos, Treinamento & Desenvolvimento, Planejamento Estratégico, Gestão Acadêmica e Gestão de Pessoas. Coordenação de equipes multidisciplinares, e Implementação de Programas de Educação Corporativa. Conhecimentos amplos na criação de metodologia e no gerenciamento de projetos, baseada na linha PMI e implantação de PMO. Certificada Personal & Professional Coaching; (SBC); Executive Coaching pelas organizações METAFORUM Internacional – Human Change Association e Associação Internacional do Instituto de Coaching, Lider Coach (SLAC) e Practitioner em PNL – Programação Neurolinguística. Condecorada “Comendadora” Profissional do Ano – PRÊMIO EXCELÊNCIA E QUALIDADE BRASIL 2017, na Categoria “TREINAMENTO EM DESENVOLVIMENTO PROFISSIONAL DE ENSINO & CIDADÃO”, pela Associação Brasileira de Liderança. E-mail de contato: ltreff@uol.com.br

Imprimir

Editor

Ainda não recebemos comentários. Seja o primeiro a deixar sua opinião.

Deixe uma resposta

Li e concordo com a Política de Privacidade

Compartilhe:

Av. Prudente de Morais, 840 Conjunto 404

++55(31) 3267-0949

contato@pmkb.com.br

Seg á Sex de 09hrs á 18hrs