Project Management Knowledge Base – Conhecimento e Experiência em Gerenciamento de Projetos

Clique Aqui para uma busca avançada.

NBR 15575 – A importância de se conhecer a Parte 1

Publicado em 12/09/2017

Ler normas e leis nunca foi uma tarefa agradável. A linguagem é essencialmente técnica e em alguns casos muito rebuscada, com citações que nos remetem e exigem a leitura de outros documentos.

Em particular a Norma 15575 possui seis partes e 312 páginas!

Para digerir todo este conteúdo, sugiro iniciar pela Parte 1, que ao longo das suas 71 páginas fornecem ao leitor atento uma visão sistêmica de toda a Norma.

Outra justificativa para iniciar a leitura pela Parte 1 é que nos deparamos com os conceitos e definições, que facilitarão o entendimento de toda a Norma.

É fundamental que o profissional tenha uma visão sistêmica deste arcabouço técnico e legal, e isto a Parte 1 nos fornece.

Mesmo que você seja um engenheiro especializado em cálculo estrutural, é muito importante saber como a sua disciplina se relaciona com as demais disciplinas e quais os tratamentos que a Norma exige do seu projeto e como o projeto estrutural se relaciona com os outros projetos. Basta lembrar os conflitos do projeto estrutural com os dutos de ar condicionado que precisam cruzar vigas, ou da segurança contra a propagação de incêndio através da abertura na laje para a passagem de um shaft.

A leitura da Parte 1 nos remete ao desafio do gerenciamento do projeto e da integração dos profissionais, numa atitude proativa e de colaboração constante.

O método tradicional de se elaborar projetos sequencialmente: primeiro o projeto arquitetônico e depois os complementares, e depois havia a entrega deste pacote para o engenheiro de obras, podemos afirmar que isto precisa ser substituído por sistemas gerenciais como a Engenharia Simultânea.

Termos como “projetos complementares” precisam ser esquecidos. Todo projeto é importante e deve como tal deve ser tratado, com a adoção da Norma.

Da mesma forma, o engenheiro de obras deve participar desde o início do projeto, assim como o orçamentista, fornecedores, prestadores de serviços, e futuros usuários.

Como fazer isto?

Vamos discutir isto na próxima postagem: NBR 15575 – Gestão de projetos

 

roberto_guidugli

Sobre o Colunista:

Roberto Guidugli, Engenheiro Civil, Especializado em Engenharia Econômica pela Fundação Dom Cabral e mestre pela UFMG. É consultor de várias empresas privadas e estatais. Consultor associado a Luis Borges Assessoria em Gestão. Como professor, ministra cursos in company e em vários cursos de pós-graduações (lato sensu): UFMG, Cefet-MG e Fumec, entre outros. Possui artigos publicados no Brasil e no exterior.

E-mail de contato: meta@consultoresmeta.com.br

Se você tem comentários, sugestões ou alguma dúvida que gostaria de esclarecer, aproveite o espaço a seguir.

Imprimir

Editor

Ainda não recebemos comentários. Seja o primeiro a deixar sua opinião.

Deixe uma resposta

Li e concordo com a Política de Privacidade

Compartilhe:

Av. Prudente de Morais, 840 Conjunto 404

++55(31) 3267-0949

contato@pmkb.com.br

Seg á Sex de 09hrs á 18hrs