Project Management Knowledge Base – Conhecimento e Experiência em Gerenciamento de Projetos

Clique Aqui para uma busca avançada.

Opinião da Lilian: metodologia de gestão de projetos e gestão transdiciplinar

Publicado em 05/06/2018

METODOLOGIA DE GESTÃO DE PROJETOS E GESTÃO TRANSDISCIPLINAR

05

RESUMO

O trabalho com projetos transdisciplinares conota, aos professores, um espaço de análise de suas próprias práticas constituindo uma forma de treinamento eficaz. Ao explicitar e analisar seus fazeres, os docentes interiorizam posturas, procedimentos, questionamentos que culminam em um coletivo forte em nível de instituição, facilitando a definição de necessidades de formação conectas a um projeto comum. “Aprender não é aquisição de algo que está lá, é uma transformação em coexistência com o outro” (NICOLESCU, 2.000, p.88). O maior conhecimento vem da troca de experiências e conhecimentos, o complemento e atividades do trabalho em grupo, de atores no mesmo espaço. Uma metodologia é, portanto, uma adaptação, à realidade dos projetos da Instituição de Ensino, tanto das propostas pela literatura como daquelas vivenciadas pelos profissionais do ensino.

Palavras-Chave: Gestão do Conhecimento; Metodologia; Gestão de Projetos; Transdisciplinaridade.

INTRODUÇÃO

É de fundamental importância criar estruturas para que a Instituição de Ensino Superior se aproprie dos conhecimentos tácitos de seus professores e transforme-os em inovações, refletindo diretamente em benefícios aos alunos e a sociedade. Além de, propiciar suporte teórico-prático que possibilite a análise da ação pedagógica sobre a perspectiva de gestão de projetos, dentro de um enfoque inter e transdisciplinar.

A educação Profissional está organizada dentro de um Sistema que interage com outros vários e diferentes Sistemas. O modelo Sistêmico de agir e pensar valoriza estas interações e congruências, sendo que cada nível e disciplina tem o seu grau de valor e importância.

Ademais, houve uma quebra de paradigmas, onde as Instituições de Ensino frente às características do mundo de trabalho atual, precisam readaptar sua grade curricular às exigências pragmáticas do mercado, sendo que, o foco nos resultados tornou-se a vantagem competitiva a ser conquistada dia-a-dia. Por outro lado, o significado e as exigências da formação de profissional da educação supõem o entendimento do que seja profissão e do que seja a formação para e na atuação profissional. Segundo Marques a profissão em sua qualidade de esfera cultural de valores, exige que o “potencial cognitivo-instrumental desenvolvido pelas ciências específicas passe efetivamente à prática educativa cotidiana dos profissionais da educação entre si e com os interlocutores de seus serviços, respeitadas as condições de validez prático-morais e prático-estéticas”(Marques, 1996). Cabe ressaltar que, este é o grande desafio da educação profissional, formar, preparar, educar Professores aptos, criativos e inovadores que construam conhecimentos aplicados em situação real de trabalho, utilizando os conceitos básicos em Gestão de Projetos. Além de, desenvolver o reconhecimento diante das limitações dos próprios saberes na utilização de uma metodologia de gestão de projetos para executar as tarefas propostas. Atuar transdisciplinarmente (Quadro I – Gestão Transdisciplinar) é observar a realidade constituída na interseção dos conhecimentos das disciplinas.

Quadro I – Gestão Transdisciplinar (elaborado pela autora)

Diante do exposto, demonstrar a funcionalidade da metodologia estruturada no gerenciamento de projetos, objetivando disseminar o conceito e relevância da disciplina Gestão de Projetos apresenta-se como uma estratégia para inovar e envolver os Professores e Lideranças promovendo uma prática coesa orientada a resultados mais padronizados, fortalecidos por processos bem definidos e principalmente pela troca de conhecimento entre as disciplinas e os respectivos professores.

Considerando que, segundo Kuenzer (2.000):  “A transdisciplinaridade só será possível se for planejada em nível institucional sendo parte integrante do projeto políticopedagógico”, a criação de momentos de partilha de saberes por meio de trabalhos com projetos seria uma forma de superação do modelo escolar existente. 

E, neste cenário cultural, influenciados pela estrutura organizacional dizer para uma Instituição de Ensino que ela necessita de uma nova metodologia de trabalho, com uma nova estrutura para gerenciar seus projetos, na compreensão da unidade e não da fragmentação das disciplinas, é um tanto quanto desafiador.  Ademais, a estratégia de um Projeto passa a ter um papel-chave impulsionando a aprendizagem de como se transformar com a mudança influenciando e moldando o processo quando possível, mas estando sensível a ideia de que, em tempos de mudanças, novas formas de organização do sistema precisam ter liberdade para emergir (MORGAN, 1996).

CONSIDERAÇÕES GERAIS

Segundo Kerzner (2001), o alcance da excelência em gerenciamento de projetos não é possível sem um processo repetitivo que possa ser utilizado em cada projeto. Esse processo repetitivo é a metodologia de gerenciamento de projetos. Para Charvat (2003), “uma metodologia” é um conjunto de orientações e princípios que podem ser adaptados e aplicados em uma situação específica. Em ambiente de projetos essa orientação é uma lista de tarefas e atividades a fazer. Destarte, uma metodologia de gerenciamento de projetos é um conjunto de processos, métodos e ferramentas para o alcance dos objetivos do projeto. Disseminar este conhecimento é o grande desafio, para que a Instituição de Ensino aprenda com a própria experiência provocando uma mudança de cenário, com a criação da necessidade de políticas que digam respeito à formação constante do profissional da educação, instigando professores a serem pesquisadores que reflitam sobre as suas próprias práticas na combinação e disseminação do conhecimento.  O ideal da transdisciplinaridade procura ser um movimento maior do que uma simples metodologia de gerenciamento de projetos, constituindo-se em defesa de uma nova forma de atuar e encarar o aprender e o fazer. Enaltece princípios como a diversidade, o comportamento ético, a integração, a não linearidade, a forma sistêmica de ver e perceber o mundo, enfim, a compreensão de que os meios são importantes e que os produtos são apenas etapas de um processo que exige uma visão, atitude e práxis transdisciplinar.

Não se trata de negação da necessidade de especialização, mas o entendimento de que todos no processo produtivo são pessoas inseridas numa sociedade complexa e multifacetada, que demanda um novo modelo de trabalho.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

AZANHA, J. M. P. A Formação do professor e outros escritos. São Paulo: SENAC, 2006.

CAPRA, Fritjof. Ponto Mutacional. São Paulo: Cultrix, 1996.

CRAWFORD, J. K. Making a Place for Success, Project Management Best Pratices Report,  Junho de 2000.

DELORS, Jacques. Educação: um tesouro a descobrir. Relatório para a UNESCO da Comissão Internacional sobre Educação para o século XXI. São Paulo: Cortez, 2002.

DEWEY, John. Como pensamos. São Paulo: Nacional, 1953. FAZENDA, Ivani (Coord.).

Práticas interdisciplinares na escola. São Paulo: Cortez, 1993. _____.

Interdisciplinaridade: história, teoria e pesquisa. Campinas, SP: Papirus,1999.

FERREIRA. Aurélio Buarque de Holanda. Novo Dicionário Aurélio. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1986. FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários a prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1999.

GADOTTI, Moacir. Pressupostos do projeto  pedagógico.  In:  MEC, Anais da Conferencia Nacional de Educação para Todos. Brasília, 28/8 a 2/9/94. 

JAPIASSU, Hilton. Interdisciplinaridade e patologia do saber. Rio de Janeiro: Imago, 1976.

KERZNER, H., Gestão de Projetos As Melhores Práticas. Porto Alegre. Bookman. 2002.

KUENZER, Acácia Zeneida. As relações entre conhecimento tácito e conhecimento cientifico a partir das bases microeletrônica: primeiras aproximações. Curitiba, Educar Especial, UFPR, 2003. 

LOPES, A. C; MACEDO, E. Teorias do currículo. São Paulo: Cortez, 2011.

LÜCK, Heloisa. Pedagogia interdisciplinar: fundamentos teóricos e metodológicos. Petrópolis, RJ: Vozes, 1999.

NICOLESCU, Basarab.  et.al; Educação e Transdisciplinaridade. Tradução Judite Vero – Brasília: UNESCO, 2000. 
SAVATER, Fernando. El valor de educar. Barcelona: Ariel

NONAKA, I.; TAKEUCHI, H. Criação de conhecimento na empresa. Rio de Janeiro:

Campus, 1997.

PERRENOUD, P. Avaliação: da excelência à regulação das aprendizagens – entre duas lógicas. Porto Alegre: Artes Médicas, 1999.

PMI. A guide de Project Management Body of Knowledge (PMBOK® Guide). Fifth Edition. Newton Square, PA: PMI, 2013a.

SENGE, P. M. A quinta disciplina. São Paulo: Best Seller, 2001.

SARAIVA, Enrique; FERRAREZI, Elisabete. Políticas Públicas: coletânea. Brasília, DF:ENAP, 2006. V. 1 e 2.

TREFF L, BATTISTELLA LR. Inovação em Gestão de projetos na Administração Pública. Rio de Janeiro:Brasport, 2013.

VARGAS, Ricardo V. Gerenciamento de Projetos: estabelecendo diferenciais competitivos: Brasport, 6ª ed. 2009.


Sobre a Colunista: 

Lilian TreffMestre em Gestão Empresarial – Programa de Mestrado Profissionalizante pela Universidade Cidade de São Paulo. Especialista em Didática do Ensino Superior, pela Universidade Mackenzie, em Gestão de Projetos pela Fundação Carlos Alberto Vanzolini – USP e em “Gestão do Conhecimento, Educação Corporativa e Aprendizagem Organizacional” (FIA/USP). Graduada em Pedagogia – Licenciatura Plena, com foco em Administração Escolar, pela Universidade São Judas Tadeu. Autora do livro Inovação em Gestão de Projetos na Administração Pública. Certificada em Coach – Personal & Professional Coaching (PPC) e Executive Coaching. Practitioner em Programação Neurolinguística. Sólida experiência na criação de metodologia de gerenciamento de projetos, implementação de Project Management Office (PMO), e Change Management. Co-Autora (patente) do Registro de Programa de Computador – “Sistema de Gestão dos Resultados na Atenção em Saúde Bucal às Pessoas com Deficiência para Sistema Único de Saúde” – Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI) e UNESP. Atualmente Consultora de Projetos Change Management – Strategy Business. E-mail de contato: ltreff@uol.com.br

Se você tem comentários, sugestões ou alguma dúvida que gostaria de esclarecer, aproveite o espaço a seguir.

Imprimir

Editor

Ainda não recebemos comentários. Seja o primeiro a deixar sua opinião.

Deixe uma resposta

Li e concordo com a Política de Privacidade

Compartilhe:

Av. Prudente de Morais, 840 Conjunto 404

++55(31) 3267-0949

contato@pmkb.com.br

Seg á Sex de 09hrs á 18hrs