Project Management Knowledge Base – Conhecimento e Experiência em Gerenciamento de Projetos

Clique Aqui para uma busca avançada.

Você, que Trabalha com Gestão de Projetos, sabe o seu QTGP?

Publicado em 28/04/2020

Calma, não é nenhum palavrão ou identificação pejorativa para o trabalho do Gerente de Projetos.

QT ou quociente de tecnologia é a capacidade de uma pessoa de adaptar, gerenciar e integrar a tecnologia com base nas necessidades da organização ou do projeto em questão.

Apesar de não ser um tema tão recente, ganhou destaque e urgência à medida da busca de pessoas e empresas pela sustentabilidade digital. Este assunto é de grande importância para o futuro de todo profissional que trabalha com gerenciamento de projetos.

Por que Sustentabilidade digital? Como aumentar meu QTGP?

Neste contexto, entenda Sustentabilidade Digital como a capacidade de quem trabalha com gestão de projetos a se adaptar ao turbilhão de mudanças trazidas pelo avanço da tecnologia. Estes avanços são responsáveis pela melhoria considerável de ferramentas e práticas de gestão.

Em publicação recente, o PMI, Project Management Institute, elencou as três características principais de um profissional com alto QTGP, vamos a elas:

1 – Curiosidade Contínua,

Capacidade de manter-se atualizado com novas ideias, perspectivas e recursos tecnológicos, aplicando-os para aumentar as chances de sucesso de seu projeto. Importante manter uma mente aberta e um bom entendimento de como integrar todas estas práticas emergentes. Deve-se evitar adotar uma prática apenas por modismo e focar nos resultados esperados e em um processo de aprendizado contínuo da aplicação destas práticas. Parece até papo de startup, mas é importante manter uma cultura de aprendizado.

2 – Um conjunto de talentos à prova do futuro

Grande parte do que você aprendeu não será utilizado neste futuro digital. Estar preparado para ciclos contínuos de aprendizado é uma característica importante de profissionais com alto QTGP. Tente montar uma equipe de projetos que tenha indivíduos com vontade, disposição e capacidade de acompanhar as tendências e adaptar suas habilidades de acordo com elas.

3 – Liderança com tudo incluído

Aqui o QTGP ganha ares de ficção científica. Já imaginou liderar uma equipe composta não somente por pessoas, mas por robôs e evangelistas tecnológicos? Você deve extrair o melhor desta equipe, independente da idade, posição hierárquica no organograma, conhecimento digital, conjunto de habilidades ou localização. Ou seja, o líder, neste caso, terá que gerenciar não apenas pessoas, mas também gerenciar tecnologia e pessoas que sabem tecnologia.

Mas como posso ajudar minha organização nesta batalha Digital?

Coloque a tecnologia na frente e no centro

Mesmo que o produto ou serviço de sua empresa não envolva puramente tecnologia, é possível aproveitar soluções digitais para obter vantagem competitiva.

Veja um caso brasileiro, da Majô Beauty Club, uma rede de franquias do ramo de beleza, com mais de 70 unidades, que em dezembro, começará a rodar um modelo digital de autoatendimento. Neste canal, parecido com autoatendimento adotado pelas redes de fast food nos últimos anos, o cliente realiza o agendamento pelo aplicativo da marca e confirma a presença na loja por meio de um totem, sem ser necessário ir até a recepção.

Outro caso interessante é o uso da Telemedicina. Ainda embrionária no país, a tecnologia usa as telecomunicações, por meio de videoconferências, para facilitar a relação entre médico e paciente.

Crie influência digital por toda a empresa

Mantenha um ambiente com funcionários bem informados e atualizados, lançando mão de treinamentos e orientação projetada para apoiar a todos nesta infinidade de novas tecnologias. Ah, e não adianta contar apenas com os experts em metodologias ágeis, aprendizado de máquina e inteligência artificial, por exemplo. Estes conceitos e práticas devem estar disseminados por toda a organização. Use e abuse de multiplicadores, ou seja, treine um profissional que seja o responsável por ensinar/apoiar outro grupo de colaboradores.

Quer conhecer um caso brasileiro interessante? Veja como a Fiat Chrysler tem capacitado sua equipe na transformação digital , em Belo Horizonte:

Se em 1976, o desenvolvimento do Fiat 147 foi 100% realizado em pranchetas e modelos físicos, a partir da década de 90, a FCA Latam começou a navegar em ambientes digitais.

“Inaugurado há 43 anos, o Polo Automotivo da Fiat, em Betim, entrou em uma nova era. Com instalações recém-inauguradas, desde julho deste ano, a planta da marca italiana em Minas atingiu 100% de autonomia para projetar novos veículos do início ao fim. Até 2024, a Fiat Chrysler Automóveis (FCA) planeja fazer 15 lançamentos entre novos modelos, renovações e séries especiais”

“Hoje, o desenvolvimento de um novo carro se baseia em quatro pilares, autonomia, soluções de mobilidade, eletrificação e conectividade. E nosso desafio a partir de 2020 será de fazer um carro mais conectado. Nossa preocupação é trazer isso para realidade do brasileiro, que já é altamente conectado, mais do que os norte-americanos inclusive”, destaca Breno Kamei, diretor de Portfólio, Pesquisa e Inteligência Competitiva da FCA Latam. Veja a reportagem completa, publicada no Jornal o Tempo, aqui.

Reinvente as jornadas de carreira

Esqueça a Carreira em Y, não dá pra escolher mais entre liderança e especialização. Os líderes de projeto devem trabalhar em conjunto com a equipe de recursos humanos para elaborar novos caminhos de carreira que combinem o conhecimento em gerenciamento de projetos com habilidades de liderança, turbinados por uma boa dose de perspicácia digital.

Estes novos caminhos chamam bastante a atenção da geração Z, que assume que dificilmente manterá o seu trabalho da mesma forma daqui a 20 anos, segundo pesquisa do Linkedin. Use esta percepção da geração Z a favor de sua empresa, catalisando a mudança nas carreiras previamente estabelecidas.

Pense no triângulo de talentos

Triângulo de talentos, proposto pelo PMI,concentra todas as habilidades e competências em três conjuntos. Segundo o PMI, “Para ter eficácia máxima, os gerentes de projetos precisam ter equilíbrio nestes três conjuntos de habilidades”. (PMBOK, 6ª edição, p. 57.):

Gerenciamento de Projetos Técnico: são relativos a domínios específicos de gerenciamento de projetos, programas e portfólios.

Liderança: são habilidades necessárias para orientar, motivar e dirigir uma equipe, para ajudar a organização a atingir suas metas de negócio.

Gerenciamento estratégico e de negócios: são relativas à expertise no setor, de forma a melhorar o desempenho e os resultados do negócio.

Você ainda deve casar seu QTGP com o QE, Quociente Emocional e o QI, Quociente Intelectual. Esta nova realidade profissional exige uma combinação de habilidades técnicas e de gerenciamento de projetos, habilidades de liderança, habilidades estratégicas e de gerenciamento de negócios, além de capacidade para aprender e acompanhar o ritmo da tecnologia. Outro dado interessante, divulgado no relatório O Gerente de Projetos do Futuro, do PMI, revelou as seis principais habilidades da era digital:

  1. Estudo da Ciência de Dados
  2. Conhecimento de segurança e privacidade
  3. Conhecimento de conformidade legal e regulamentar
  4. Capacidade de tomar decisões baseadas em dados
  5. Mentalidade inovadora
  6. Liderança colaborativa

Eu simplesmente adorei a forma como o PMI encerra seu relatório Pulse of Profession de 2019:

Para alcançar a verdadeira sustentabilidade digital no novo futuro do trabalho, as organizações precisarão de uma equipe “pronta para tudo”, que conheça sua tecnologia e também seu gerenciamento de projetos.

TECNOLOGIA + GERENCIAMENTO DE PROJETOS, sacou?

Chegou a hora de usar seu QTGP!

 

Sobre o autor:

Hayala Curto, CEO da Seed e idealizador do software NetProject (http://netproject.com.br/). Principal acionista da empresa, Hayala é mestrando em Informática pela PUC Minas, graduado em Ciência da Computação e tem MBA em Gerência de Projetos e Gestão Empresarial pela FGV. Tem mais de 15 anos de experiia coordenando projetos de TI. Especialista em plataforma WEB e Business Inteligence. Participou da criação e do desenvolvimento de diversos DataWarehouses e aplicações WEB corporativas para clientes como a Telemig Celular, Vale, Prefeitura de Betim, CEMIG, entre outros. É membro do PMI, Project Management Institute, atuante no capítulo de Minas Gerais, desde 2004.  E-mail de contato: contato@seedintelligence.com / http://www.seedintelligence.com

Imprimir

Editor

Ainda não recebemos comentários. Seja o primeiro a deixar sua opinião.

Deixe uma resposta

Li e concordo com a Política de Privacidade

Compartilhe:

Av. Prudente de Morais, 840 Conjunto 404

++55(31) 3267-0949

contato@pmkb.com.br

Seg á Sex de 09hrs á 18hrs