Project Management Knowledge Base – Conhecimento e Experiência em Gerenciamento de Projetos

Clique Aqui para uma busca avançada.

Linguagem corporal: 10 erros mais comuns em apresentações executivas

Publicado em 24/02/2021

Muitos estudos na área da linguagem corporal mostram que, do ponto de vista da audiência, o fator de maior impacto é a comunicação não verbal do apresentador, sendo que tal linguagem corporal compõe até 55% da influência do apresentador sobre a audiência.

Sendo assim, por que não compartilhar os 10 erros mais comuns de linguagem corporal em apresentações que identificamos.

Certamente, você já deve ter notado em si mesmo esse ou aquele ponto. Fique tranquilo! Nesse material estão as informações necessárias para melhorar seu desempenho junto à audiência.

Linguagem corporal

“O corpo fala” e provavelmente você já ouviu isso por aí, não é mesmo? Ou então, já viveu na pele. Sabe quando um amigo está com a cara amarrada, parecendo tenso e você sabe que há algo errado, mas a pessoa insiste em dizer que não?

É a postura da pessoa que entrega a forma como ela está se sentindo e que transmite ao outro:

  • Tensão;
  • Alegria;
  • Relaxamento;
  • Medo;
  • Qualquer outra emoção.

Isso se chama linguagem corporal e para você, como empreendedor, a linguagem corporal é um aspecto muito importante, e que você deve trabalhar.

E se você precisar convencer um investidor a fazer um aporte no seu negócio, mas transparecer insegurança? E se um cliente for muito chato e ele perceber que você está pensando isso sobre ele?

E se você precisar motivar e inspirar sua equipe – e enquanto líder você precisará – e eles perceberem a tensão e preocupação por trás das suas palavras?

Veja abaixo os 10 erros mais comuns e que devem ser evitados não somente durante a condução de reuniões executivas mas também nas técnicas, de status ou qualquer outra.

Quer saber um pouco mais sobre Liderança? Não deixe de ver também o artigo: Lições de liderança Game of Thrones para Gerentes de Projetos.

Cruzar os braços ou as pernas

Quando você cruza os braços, pode enviar uma mensagem subliminar de que não está aberto aos presentes e se sente ameaçado. Para a audiência, estar na defensiva. E isso é exatamente o oposto do que você quer.

Aos homens

Cruzar as pernas ao sentar também não é um bom sinal. Pode ser interpretado como nervosismo e falta de profissionalismo – de novo, percepções que não quer.

Quando você está apresentando, facilite a comunicação pois ela deve ser acessível e transparecer confiança. Mantenha as costas eretas, sua cabeça alta, o peitoral e braços abertos.

Virar as costas para os executivos

Evite dar as costas para a audiência pois isso pode dar a sensação de que não se importa, pode soar rude.

As pessoas precisam ver seu rosto, seus olhos, sua boca para se conectar com você. Então, se planeja atrair a atenção para algo na tela, apenas fique ao lado dela e aponte ou utilize um laser point.

Para saber mais sobre apresentações executivas veja o artigo Apresentação executiva: Mais profissionalismo com o Office Timeline.

Evitar contato visual

Tendemos a fugir do contato visual inconscientemente, evitando o confronto. Mas o apresentador precisa estar seguro e confiante e uma maneira de demostrar isso é olhar as pessoas nos olhos.

Ao olhá-las nos olhos, elas vão dedicar mais atenção a você e à sua mensagem, o que aumentam as chances deles aderirem à sua proposta de mudança.

Encarar apenas um executivo

Encarar um ponto isolado na audiência nunca é uma boa ideia. As pessoas vão notar que você, na verdade, não está olhando para ninguém. Além disso, faz você parecer inseguro, assim como olhar para o teto.

Em vez disso, tente olhar, pausadamente, para cada pessoa, ora de uma lado da plateia, ora de outro, na frente e atrás.

Seu público vai sentir-se conectado a você, como em uma conversa – e, mais importante: vai se concentrar em você.

Ficar na mesma posição durante a apresentação

Se, ao apresentar, você fica no mesmo lugar por receio de tropeçar ou cair, uma dica: use sapatos confortáveis

O cérebro precisa de movimento para permanecer alerta. E se mover no espaço ao seu redor é uma forma poderosa de manter a audiência em alerta e atenta ao conteúdo.

Então não deixe de usar essa ferramenta poderosa por medo ou receio.

Andar muito rápido e muito longe

Apesar de aconselharmos andar pelo espaço à sua volta, não convém abusar. Se você estiver constantemente em movimento, ou andando muito rápido, a audiência pode deduzir que está nervoso e, certamente, ficará nervosa também.

Esse não é o objetivo.

Você deve se mover sempre que a mensagem pedir movimentação. Se você está falando com alguém da audiência, por exemplo, mova-se para um ponto mais próximo a essa pessoa.

Se estiver apresentando uma lista de três pontos, use a movimentação para ilustrar a mudança do ponto 1 para o 2 e daí em diante.

Repetir gestos demasiadamente

Já viu apresentadores que repetem os mesmos gestos, independentemente da mensagem? Faz sentido? Os gestos devem servir para enfatizar e ilustrar as mensagens, não como muletas para quando não souber o que fazer com mãos.

Gesticule quando isso fizer algum sentido e quando ajudar a complementar a mensagem, caso contrário será apenas um obstáculo à sua comunicação.

Tente variar o gestual o máximo possível, mas de maneira natural.

Inquietação

Inquietação significa nervosismo e nervosismo é distração total. A audiência acaba focando na sua inquietação, não na sua mensagem.

Mantenha o foco exclusivamente naquele situação. Mantenha-se atento ao seu corpo e ao modo como se comunica. A melhor maneira de criar essa ampla consciência é ensaiar bastante a apresentação, de preferência com uma audiência. Uma boa dica é:

Filme você mesmo. Esse vídeo vai dizer quanta inquietação você tem sob condições reais.

Não sorrir

Se você não sorri, a audiência provavelmente o verá como alguém sério demais. Disso pode gerar um constrangimento no instante em que abrir espaço para perguntas ou mesmo precise interagir.

Sorrir é a maneira ideal para fazer a audiência se sentir confortável e disposta a ouvir.

Falar muito rápido, devagar ou muito alto

A voz do apresentador é uma de suas ferramentas mais poderosas, mas ele deve saber usá-la. Ache o volume e tom corretos, enfatize palavras e expressões importantes e articule cada sílaba.

Se fizer isso, a audiência ai entender naturalmente o que você está dizendo.

 

Sobre o autor:

curva "s"

Jefferson Duarte – Gerente de Programas e Projetos na empresa Claro Brasil. Certificaçação PMP®, ITIL® e MCTS® em Microsoft Project. MBA Executivo Internacional em Gerenciamento de Projetos pela FGV e Gestão de Projetos de T.I. pelo IBTA. Pós-Graduado em Tecnologia WEB para Sistemas de Gestão Empresarial. Graduado em Ciências da Computação. Atuação profissional na área de T.I. com Processos e Projetos por mais de 15 anos. E-mail: contato@gp4us.com.br e site: https://www.gp4us.com.br

Imprimir

Editor

Project Management Knowledge Base – Conhecimento e Experiência em Gerenciamento de Projetos

Ainda não recebemos comentários. Seja o primeiro a deixar sua opinião.

Deixe uma resposta

Li e concordo com a Política de Privacidade

Compartilhe:

Av. Prudente de Morais, 840 Conjunto 404

++55(31) 3267-0949

contato@pmkb.com.br

Seg á Sex de 09hrs á 18hrs

×