Project Management Knowledge Base – Conhecimento e Experiência em Gerenciamento de Projetos

Clique Aqui para uma busca avançada.

O uso da tecnologia BIM como ferramenta na gestão de projetos

Publicado em 17/10/2018

RESUMO

A partir da problemática observada no setor da construção civil no que se refere à compatibilização de projetos e comunicação entre as áreas nestes envolvidas, o presente artigovisa demonstrar como as ferramentas BIM –Building Information Modeling– podem auxiliar e otimizar não só no desenvolvimento, bem como na gestão desses projetos. Desta forma, através de softwares que trabalham por meio de uma modelagem paramétrica e utilizando o conceito de interoperabilidade, a plataforma BIM permite que o desenvolvimento dos projetos aconteça de maneira integrada e colaborativa entre os profissionais; o que possibilita que possíveis falhas sejam minimizadas e corrigidas ainda nas etapas de projeto e que estas não se estendam até o canteiro de obras.Sendo assim, o desenvolvimento deste artigo está fundamentado em pesquisas técnicas de materiais especializados no assunto, bem como a partir de um conhecimento prévio apresentado sobre as contribuições oferecidas pela metodologia.

Palavras-Chave: Building Information Modeling (BIM); Compatibilização de Projetos; Gestão de Projetos; Construção Civil.

INTRODUÇÃO

O Setor da Construção Civil no Brasil, é responsável por uma parcela significativa do PIB brasileiro; este correspondia a 5%(2015) de toda a renda gerada, segundo a Câmara Brasileira da Industria da Construção (CBIC). No entanto, mesmo com relevante representatividade no mercado nacional, o setor atravessa diversas problemáticas que impedem o seu crescimento.Destaca-se como um dos seus principais gargalos o desprezo com as fases de projeto e planejamento da obra que, aliados à falta de comunicação entre as áreas, resultam em falhas na execução, aumento dosprazos e custos, além da perda de qualidade do empreendimento.

Afim de minimizar os erros, otimizar processos e reduzir custos, a compatibilização de projetos torna-se uma poderosa ferramenta para o setor da construção civil, já que esta pode ser compreendida como o gerenciamento e integração das disciplinas envolvidas, como destacado por Callegari (2007):

[…] A compatibilização compõe-se em uma atividade de gerenciar e integrar projetos afins, visando o perfeito ajuste entre os mesmos, conduzindo para a obtenção dos padrões de controle de qualidade de determinada obra. Tem como objetivo minimizar os conflitos entre os projetos inerentes a determinada obra, simplificando a execução, otimização e utilização de materiais, tempo e mão de obra, bem como as posteriores manutenções. Compreende, também, a ação de detectar falhas relacionadas às interferências e inconsistências geométricas entre os subsistemas projetuais.

Contudo, apesar da importância ressaltada, o ato de compatibilizar ainda é um grande desafio enfrentado pelos seus gestores. Através dos métodos tradicionais utilizados para o desenvolvimento de projetos, os processos se dão de maneira fragmentada, envolvendo diversos profissionais de áreas específicas de conhecimento, os quais dificilmente irão trabalhar em conjunto em tempo integral e conseguir reunir/sobrepor com êxito todas as informações e materiais produzidos durante o processo. Destaca-se que o custo de mudança em um projeto é menor na fase de Planejamento se comparado com a Execução e Finalização; o que afirma mais uma vez a importância de se detectar quaisquer interferências entre projetos ainda no momento de sua concepção para que soluções mais interessantes sejam adotadas.

A partir dessa fragilidade existente, as ferramentas BIM surgem com o propósito de minimizar os conflitos e contribuir para que o gestor consiga adquirir maior controle sobre as informações geradas ainda no Planejamento

Deste modo, o presente artigo procura ser relevante ao trazer uma melhor compreensão sobre essas ferramentas e sua aplicação na gestão de projetos.

 

DESENVOLVIMENTO

A partir das necessidades e problemáticas observadas, a tecnologia BIM (BuildingInformationModeling), surge como uma ferramenta inovadora de auxílio àcompatibilização de projetos,que visa buscar uma nova tratativa no que diz respeito aos projetos de construção, seja em sua elaboração ou gestão.

Essa tecnologia que vem se destacando nos últimos anos“é um dos mais promissores desenvolvimentos da indústria relacionada à arquitetura, engenharia e construção (AEC).”, como afirma Chuck Eastmam, especialista em Modelagem de Informações de Construção do Instituto de Tecnologia da Georgia nos EUA e pioneiro na disseminação da plataforma em discussão.O BIM representa uma nova metodologia e tecnologia capaz de melhorar os processos de concepção e gestão da construção, trazendo benefícios a todas as fases do ciclo de vida de um empreendimento.

Para Eastman(2014, p.1), o BIM pode ser definido como um modelo virtualcapaz de representar a geometria exata da edificação, juntamente com as informações necessárias e primordiais, que dão suporte ao processo de projeto e construção.

Já a revista PINI (Edição 208 – Julho/2011), define o BIM como um modelo virtual do objeto arquitetônico e ressalta principalmente a facilidade de acesso às informações em qualquer etapa das fases do empreendimento por se tratar de uma plataforma digital que também permite quantificar, planejar e coordenar todos os dados.

Assim,a tecnologia BIM; diferente do processo tradicional, onde cada disciplina (estrutural, hidráulica, elétrica, arquitetura) trabalha de maneira isolada; apresenta um modelo único, onde é possível obter maior controle sobre todo o ciclo de vida do projeto, além também de permitir que todos os envolvidos no processo possam acessar e realizar modificações a qualquer momento, sempre mantendo o modelo atualizado.

Dessa forma, “o processo deixa de ser fragmentado e torna-se integrado e instantâneo, possibilitando que todas as disciplinas atuem simultaneamente e facilitando a detecção de incompatibilidades” (MOTTER e CAMPELO, 2014), além também de permitir “gerenciar informações que auxiliem na elaboração automática de relatórios, análise de projetos, simulações de cronogramas, facilidade de gerenciamento, entre outras”(LEÃO DE LIMA; SILVA DE ALBUQUERQUE; DE LIMA PEREIRA e MELHADO, 2014). Assim, a equipe de trabalho pode tomar decisões com base em informações mais precisas e confiáveis.

FIGURA 01 – Processo BIM como contraponto ao processo tradicional de projeto.

Modelagem 3d bim

Fonte: A Aplicação da Metodologia BIM para a Compatibilização de Projetos (2012).

O BIM pode ser encontrado em inúmeros softwares, no entantoos mais utilizados atualmente sãoo Revit, ArchiCAD, TeklaStructures e o BentleySistems (principais da área da arquitetura e engenharia).

Essesprogramaspossuemdiversos recursos, mas o que os tornam um software BIM é a modelagem paramétrica e a interoperabilidade, que são conceitos extremamente importantes e são a base dessa revolucionária metodologia.

A modelagem paramétrica pode ser definida como uma representação computacional por meio de parâmetros e atributos. Esse fato proporciona diversos dos benefícios do BIM para a construção civil, em especial a possibilidade de realizar atualizações automáticas (como por exemplo, ao diminuir a altura de uma parede, a inclinação do telhado se ajusta automaticamente, ou ao alterar os atributos de um objeto, o programa atualiza paralelamente no modelo),o que torna a coordenação e alteração do 3D mais ágeis.

Já o conceito da interoperabilidade está diretamente ligado à troca de informações entre todos os envolvidos no projeto. Por se tratar de um modelo único, apresentado de maneira tridimensional e parametrizado, é possível que todos trabalhem de forma integrada e colaborativa, o que torna possível o acesso a informações indispensáveis para tomadas de decisões que são importantes para o projeto.

FIGURA 02 – Aplicações do BIM.

Modelagem 3d bim

FIGURA 02 – Aplicações do BIM.

Fonte:Gestão de Projetos: O Bim nas Organizações, 2016.

Sendo assim, além destes benefícios destacados, a tecnologia BIM proporciona uma melhor visualização da obra, maior produtividade devido ao fácil acesso à informação, “maior coordenação dos documentos específicos da construção, integração de informações sobre os elementos e processos de construção, menor tempo de execução e redução de custos”(LEÃO DE LIMA; SILVA DE ALBUQUERQUE; DE LIMA PEREIRA e MELHADO 2014).Desta forma, o BIM se apresenta como uma alternativa plausível não só para a arquitetura, engenharia e construção (AEC), mais também ao aprimoramento dos processos relativos ao planejamento e gerenciamento de projeto.

Oliveira (2005), ressalta que:

[…] Os processos de concepção e projeto são estratégicos para a qualidade do edifício ao longo do seu ciclo de vida.  E a busca por novos métodos eprocesso que possam considerar precocemente a totalidade das questões envolvidas no projeto é de extrema relevância para o sucesso dos empreendimentos e para o progresso do setor da construção.

Sendo assim, a tecnologia BIM se torna uma ferramenta significativa para ser aplicada no gerenciamento de projetos, já que além de controlar todas as fases de Planejamento e Execução, racionaliza os processos de tomadas de decisão; o que traz benefícios relevantes para a construção civil.

CONCLUSÃO

A partir da problemática levantada no artigo referente ao descuido com as fases de projeto e planejamento da obra, é possível concluir que a metodologia BIM surge como uma ferramenta com grande potencial de aplicação para que essas fragilidades sejam minimizadas; uma vez que os esforços de trabalho passam a estar concentrados, justamente, nas fases iniciais do ciclo de vida do projeto.

Desta forma, ao se modificar o fluxo de trabalho, é possível que decisões importantes e impactantes do projeto sejam definidas ainda no momento de sua concepção, evitando que retrabalhos e, consequentemente, maiores prazos e custos, sejam gerados nas fases mais avançadas (onde o custo de mudanças se torna muito maior).

Assim, a metodologia BIM permite que o gerenciamento do projeto seja realizado de maneira muito mais eficaz, permitindo não só a otimização dos processos, como um maior controle ao longo de todo ciclo de vida do empreendimento.


Esse artigo faz parte de uma série que foi desenvolvida pela turma do curso de Pós-graduação de Gestão de Projetos de Engenharia do UNI-BH, com a orientação do Elienay Marçal Fialho Fuly. Veja a programação de publicação dessa série:

Artigo 00 – AUTO CAPACITAÇÃO DE TIME DE PROJETOS: BASE PARA MATURIDADE EM GERENCIAMENTO DE PROJETOS (Disponível 03-10-2018) – Leia esse artigo, clique aqui.
 
Artigo 01 – O uso da tecnologia BIM como ferramenta na Gestão de Projetos; (Disponível no dia 17-10-2018)
 
Artigo 02 – Crescimento cervejeiro: o progresso que a gestão de projetos proporciona; (Estará disponível no dia 31-10-2018)
 
Artigo 03 – A importância da otimização produtiva nas indústrias; (Estará disponível no dia 14-11-2018)
 
Artigo 04 – As consequências da má comunicação dentro do canteiro de obras na construção civil; (Estará disponível no dia 28-11-2018)
 
Artigo 05 – Metodologias Ágeis em projetos de engenharia; (Estará disponível no dia 12-12-2018)
 
Artigo 06 – Problemas e prejuízos pelas falhas de comunicação entre setores da engenharia; (Estará disponível no dia 26-12-2018)

REFERÊNCIAS

EASTMAN, C., TEICHOLZ, P., SACKS, R., LISTON, K. Manual de BIM. Um Guia de Modelagem. 1ª ed. Porto Alegre: Editora Bookman, 2014.

VINHAL, B. de S.; SILVA. D.M.; ALMEIDA, R.C.; SILVA, S.R. O que é a Multidisciplinariedade em Projetos de Construção. 2018. 12 p. Pós Graduação (Gestão de Obras de Edificações, Tecnologia e Desempenho da Construção Civil) – Centro Universitário de Patos de Minas, Patos de Minas, 2018.

LEÃO DE LIMA, A.C.; SILVA DE ALBUQUERQUE, D.M.; DE LIMA PEREIRA, I.K.; MELHADO, S. Plataforma Bim como Sistema de Gestão e Coordenação de Projeto da Reserva Camará. XV Encontro Nacional de Tecnologia do Ambiente Construído. Maceió, AL. 10.17012/entac2014.487.

COSTA, Luciano Rodrigues. O Uso do BIM como Ferramenta na Gestão da Construção Civil. 2016. 41 p. Monografia (Especialista em Construção Civil) – Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2016.

OLIVEIRA, Otávio José de. Modelo de gestão para pequenas empresas de projetos de edifícios. São Paulo: 2005. 262f. Tese (Doutorado em Engenharia) – Departamento de Engenharia de Construção Civil, Escola Politécnica da Universidade de São Paulo. 2005.

CALLEGARI, S. Análise da Compatibilização de Projetos em Três Edifícios Residenciais Multifamiliares. Dissertação – Arquitetura e Urbanismo. Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis, 2007.

VOUGUINHA, Priscila Morais Villela. Metodologia BIM – Aplicação das Ferramentas na Fase de Gestão de Projetos e os Reflexos Gerados no Campo da Arquitetura. 2018. 19 p. Pós Graduação (Gestão de Projetos de Engenharia). Centro Universitário de Belo Horizonte, Belo Horizonte, 2018.

MOTTER, Alexia Gassenferth; CAMPELO, Heloísa Queiroz. Implantação da Tecnologia BIM em Escritórios de Projetos na Região de Curitiba – Estudo de Casos. Dissertação – Como requisito parcial para a obtenção do título de Engenheiro Civil, Setor de Tecnologia da Universidade Federal do Paraná. Curitiba, 2014.

MONTEIRO, A.C.N.; SOBRINHO JUNIOR, A. da S.; CAVALCANTI, D.S.C.; PEREIRA, E.E. Compatibilização de Projetos na Construção Civil: Importância,

Métodos e Ferramentas. Campo do Saber, v 3, n 1, p 53 – 77, jan/jun 2017.

CARVALHO, Marcello Moraes Gomes. Gestão de Projetos: O BIM nas Organizações. 2016. 91 p. Mestrado (Ramo de Gestão da Construção) – Instituto Superior de Engenharia do Porto, Porto – Portugal, 2016.

ROSSO Silvana Maria. Softwares BIM: Conheça os programas disponíveis, seu custo, principais características e segredos. PINI – Arquitetura e Construção. São Paulo. Edição 208 – Julho/2011. Disponível em: < http://au17.pini.com.br/arquitetura-urbanismo/208/artigo224333-2.aspx>. Acesso set. 2018.

 

Sobre os autores:

Alícia Cardoso Esteves – Técnica em Informática Industrial pelo CET/CEFET MG (2011) e Graduada em Arquitetura e Urbanismo pelo Centro Universitário de Belo Horizonte – UniBH (2017). Atualmente atua como autônoma na sua área de formação com o desenvolvimento de projetos arquitetônicos, urbanísticos e de interiores; e cursa Especialização na área de Gestão de Projetos de Engenharia (UniBH). E-mail de contato: aliciacesteves@gmail.com

Ana Flávia Rodrigues Xavier – Graduada em Arquitetura e Urbanismo pelo Centro Universitário de Belo Horizonte – UniBH (2017). Possui experiência em projetos de trânsito, detalhamento de mobiliário, bem como a realização de orçamentos junto aos fornecedores. Atualmente atua em um escritório da área voltado, principalmente, para projetos arquitetônicos e de designer de interiores. Cursa especialização em Gestão de Projetos de Engenharia. E-mail de contato: anaflaviarodriguesx@gmail.com

Jair Carlos Rocha –  Graduado em Arquitetura e Urbanismo pela UniBH (2016), Cursa especialização em Gestão de projetos de Engenharia. Capacitado através de cursos em ArchiCad básico pelo Arquiteto Alexandre Gonçalves (2009), Iluminação comercial e Residencial pela escola NEDI (2018), Projetando Casas pelo professor Ubirani Jr. Atualmente trabalha na área de engenharia de telecomunicação na empresa TELEMONT, e em paralelo de forma autônoma, trabalha juntamente com um sócio desenvolvendo projetos arquitetônicos. Email de contato: jaircarlosrocha@gmail.com

Maria Carolina Dias Souto Soares Cardoso – Técnica em edificações pelo CEFET-MG (2011), Engenheira Civil pela UNIBH (2018) e pós-graduanda em Gestão de Projetos de Engenharia. Sua experiência é majoritariamente na área de Estruturas, mas também passou por escritórios de instalações de rede de gás e arquitetura. Atualmente atua como autônoma elaborando projetos e acompanhamento de obra. E-mail de contato: mcarolinaeng@gmail.com

Thaise Grazielle Veloso –  Técnica em Meio Ambiente pelo CEFET/MG (2010) e Graduada em Arquitetura e Urbanismo pelo UniBH (2017). Tem experiência em projetos de armários planejados, desenhos topográficos, projetos arquitetônicos e de interiores, bem como a aprovação arquitetônica em órgãos competentes. Atualmente atua na área como autônoma. Cursa Especialização no ramo da Gestão de Projetos de Engenharia pela UNIBH. Email de contato: thaiseveloso@gmail.com

Elienay Marçal Fialho Fuly  (ORIENTADOR) –  Graduado em Engenharia de Produção, Pós-graduado em Engenharia de Produção Enxuta / Melhoria Contínua, MBA em Administração de Projetos e MBA Executivo em Gestão de Negócios. Atualmente atua como Engenheiro de Processos Sênior no ramo automotivo. É professor de cursos de pós-graduação nas áreas de Gestão de Projetos, Engenharia de Custos & Orçamentos e Matemática Financeira Aplicada. É consultor de soluções em Engenharia de Processos e Melhoria Contínua desde 2014. É palestrante em temas de Gestão de Projetos, Redução de Custo, Engenharia de Planejamento, Engenharia de Produção, Melhoria Contínua e Matemática Financeira. Possui experiências nas áreas de Gestão e Engenharia de Processos, Produção, Qualidade e Administração de Contratos. E-mail de contato: elienayfuly@gmail.com.

Imprimir

Editor

Ainda não recebemos comentários. Seja o primeiro a deixar sua opinião.

Deixe uma resposta

Li e concordo com a Política de Privacidade

Compartilhe:

Av. Prudente de Morais, 840 Conjunto 404

++55(31) 3267-0949

contato@pmkb.com.br

Seg á Sex de 09hrs á 18hrs